O elevador é um equipamento muito complexo e em todos os processos relacionados a ele (uso, conservação, manutenção, modernização, etc) é possível que surjam dúvidas. Nesse caso, a Control Elevadores está à disposição para atender você sempre que precisar. Selecionamos as dúvidas mais freqüentes entre nossos clientes. Clique nas perguntas abaixo e veja as respostas automaticamente. Caso não encontre resposta para sua dúvida entre em contato conosco através do email: assistenciatecnica@controlelevadores.com.br ou utilize o formulário na página Contato para nos enviar a sua pergunta. Desde já agradecemos.

Troca de peças só com a empresa conservadora atual?

Os elevadores são equipamentos eletromecânicos que durante uma simples operação de subir ou descer um andar, requer o funcionamento de centenas de peças, tanto eletro-eletrônicas quanto mecânicas. Estas operações diárias provocam o desgaste natural dos componentes. Existem outros itens que são substituídos preventivamente, a fim de evitar danos em outros componentes e paralisações.

A troca das peças, sejam elas em regime preventivo ou corretivo, deve ser efetuada pela atual empresa prestadora de serviços. Além de a empresa saber a característica e dimensões corretas, existe a garantia da boa instalação. Uma simples peça pode requerer o uso de ferramental apropriado e dependendo do local que esteja instalada, requer cuidados e procedimentos de segurança que somente a empresa atual prestadora pode lhe fornecer.

Nesta presente época, da fartura e facilidade de obter informações, chega-se facilmente aos fornecedores onde acaba criando certa “tentação” de arriscar a comprar a peça e instalar e ou a comprar a peça e entregá-la a que outros instalem.
Cuidado com este tipo de procedimento! Isso pode ser perigoso. Quem pode lhe dar a garantia de que a peça é correta e que está sendo instalada dentro dos padrões de segurança exigidos é a sua atual empresa conservadora.

Ressaltamos ainda que, a responsabilidade técnica pela conservação dos equipamentos junto aos órgãos competentes, no caso de São Paulo, CREA e CONTRU5-PMSP, é da empresa conservadora que mantém contrato com o prédio. Sendo assim, também dentro do aspecto legal, é terminantemente proibido que terceiros intervenham no funcionamento dos elevadores, quer aplicando peças ou fazendo reparos, sob pena de aplicação de multa e imputação de responsabilidade civil e criminal, na eventual ocorrência de acidentes.
Somente agindo desta forma você poderá exigir os seus direitos para uma eventual falha ou dano.

LEMBRE-SE: A manutenção ou a reforma do seu elevador não é uma exclusividade da montadora.

Fornecimento de peças para o mercado de elevadores – A desmistificação de um mito

Uma das dúvidas mais constantes de síndicos e administradores de condomínio esta relacionada ao fornecimento e abastecimento de peças de elevadores para as empresas conservadoras multimarcas.
No momento de decidir sobre a empresa que fará a manutenção dos elevadores a principal questão que surge é: “Quero trocar a empresa que faz manutenção em nossos elevadores, pois não esta nos atendendo a contento. Atualmente esta manutenção é feita pela empresa montadora do elevador. Tenho dúvidas com relação às peças no caso de troca. As empresas conservadoras têm acesso para compra de peças? Onde são compradas estas peças?”

A Control Elevadores tem a função de orientar o mercado consumidor dos produtos e serviços do segmento de transporte vertical.
Neste sentido, com relação às questões acima levantadas, esclarece que:

1) O mercado de elevadores, hoje em dia, é bastante diversificado. A indústria de elevadores não esta, como no passado, tão verticalizada a ponto de produzir todos os componentes necessários para a fabricação de um elevador. Hoje, estas empresas, tal como o mercado de automóveis, funcionam como montadoras. Os fornecedores das peças que compõem os equipamentos são, via de regra, comuns a todas as empresas.
Além disto, o mercado globalizado possibilita a toda e qualquer empresa o acesso a tecnologia de ponta disponível no mundo inteiro, inclusive no Brasil.
Portanto, não tenha dúvidas com relação a este assunto, pois as peças de reposição não são um problema para as empresas de conservação de elevadores, uma vez que o mercado disponibiliza para elas todos os componentes necessários para se fazer uma excelente manutenção.

2) Acesse o nosso site, www.seciesp.com.br, e confira as empresas classificadas como “colaboradoras”, pois estas são algumas das empresas que abastecem o mercado com peças e componentes de reposição. Inclusive, algumas delas, fornecem seus produtos para as multinacionais instaladas hoje em nosso país.

3) Portabilidade. Palavra comum para os nossos dias modernos. Assim como o seu carro e o seu telefone celular, entre outros, não são propriedade de quem os fabricou. O elevador é de propriedade do condomínio, e não da empresa que o montou. Uma vez que você comprou e pagou, o equipamento é seu. O condomínio não precisa e não deve ficar refém de uma empresa que não o está atendendo a contento.
O cliente deve ficar com uma empresa pelos bons serviços que presta e não simplesmente pelo argumento inverídico e ingênuo de que as empresas conservadoras multimarcas não tem acesso a peças e componentes.
4) Também no nosso site, www.seciesp.com.br, encontram-se listadas as empresas de conservação, nossas associadas, que tem toda a condição de prestar-lhes um bom serviço de manutenção. Para que possamos agir ainda dentro de total transparência, indicamos acessar o site da prefeitura municipal, www.prefeitura.sp.gov.br, procurar o departamento de controle urbano e seguir as instruções até chegar à lista das empresas que possuem registro de concessão para atuar na cidade de São Paulo.
Esperando ter contribuído com o esclarecimento destas questões, continuamos a disposição dos síndicos(as) e administradores(as) para dirimir quaisquer outras dúvidas que possam surgir com relação ao mercado de elevadores.

A portabilidade da manutenção de elevadores

A PALAVRA portabilidade está, paulatinamente, ingressando no vocabulário do brasileiro como algo de grande valia para as pessoas. A possibilidade de troca de operadora de celular, banco ou plano de saúde com menos burocracia e perdas já é possível. Enfim a liberdade de escolha.

Em março, começa a valer a portabilidade para celulares na cidade de São Paulo, ou seja, pode-se mudar de operadora e manter o mesmo número. Em abril, passa a valer uma lei nacional para facilitar a troca de plano de saúde sem carências. O salário depositado numa conta também já pode ser transferido para outro banco sem taxas.

O contrato de manutenção de elevadores, teoricamente, poderia ser feito por qualquer empresa legalmente habilitada para este fim e da livre escolha do consumidor. Só na cidade de São Paulo há mais de 90 empresas habilitadas na prefeitura (Contru) e CREA, sendo que a maioria não é fabricante de equipamento. Por que há dificuldade de “fazer valer” a livre concorrência dos serviços de conservação e manutenção de elevadores?

Multas abusivas para o cancelamento de contratos

Algumas empresas tentam impor em seus contratos prazos de até cinco anos de vigência e multa de 50% em todas as mensalidades no caso de rescisão. Um valor alto que praticamente inviabiliza a mudança para outro concorrente com proposta mais atraente. Em comparação com os contratos de celulares, uma grande operadora de São Paulo lançou uma campanha excluindo qualquer tipo de multa contratual. Não é justo tolerar um mau serviço ou mais caro por conta de uma multa.

O que fazer: Não assine contratos com multas elevadas e se possível revise os atuais alterando este tipo de cláusula. Se a multa for exagerada (mais de três mensalidades) denuncie aos órgãos de defesa do consumidor.

Equipamentos bloqueados

Muitas pessoas não sabem, mas o seu elevador pode ter uma senha que impede a manutenção por outra empresa, que não aquela que instalou os equipamentos.

O que fazer: Não permita que instale senhas de manutenção, evite empresas cujos equipamentos são exclusivos e dificultam a manutenção por outra empresa. Prefira equipamentos genéricos que possam ser conservados por qualquer empresa especializada.
Exija que retire a senha (já há decisões judiciais com esta determinação) e que o fabricante do equipamento forneça manual completo, não apenas de utilização do elevador, mas de manutenção do mesmo e mantenha os registros das manutenções realizadas como manda a norma de elevadores.
Empresas de celulares, impõe a fidelidade ao contrato em contrapartida a um desconto na compra do aparelho. No caso do elevador não houve nenhuma vantagem para o condomínio.
Se houve foi para a construtora, que muitas vezes fez o primeiro contrato de manutenção e que comodamente vem sendo renovado sem comparações.
O cliente deve manter o contrato de manutenção porque é bem atendido e não por que é obrigado. Exija seus direitos porque portabilidade sem liberdade não é portabilidade de verdade!!

Quanta energia consome o seu elevador?

Atualmente, qualquer gasto com energia é significante para o nosso bolso e para o meio ambiente. Ao contrário dos carros, que muitos sabem quantos quilômetros roda por litro ou seu consumo semanal, a grande maioria das pessoas, mesmo morando há anos em edifícios, não têm ideia de quanta energia consome um elevador. Calcular precisamente o consumo de energia específico de cada elevador é um tanto complexo devido à quantidade de variáveis, tais como carga de cada viagem; número de partidas; tipo do equipamento e, até mesmo, a forma de utilização dos usuários. Mesmo assim, para efeitos práticos, podemos utilizar estimativas médias que podem orientar nossas decisões.
– O custo de energia elétrica do elevador corresponde em torno de 6% dos gastos de um condomínio.
– Num edifício residencial típico com dois elevadores equivale ao consumo de cerca de 50 geladeiras (1800 a 2700 Kwh).
– Elevadores podem ser modernizados e reduzir em até 40% os gastos de energia ou semelhante a desligar 20 geladeiras pelo resto da vida, as duas formas mais significativas para reduzir o gasto com energia, passam pela modernização dos equipamentos. A primeira seria a utilização de sistemas inteligentes que, no caso de mais de um equipamento no local, permitem o movimento somente do elevador mais próximo ao andar do usuário, evitando viagens desnecessárias. O segundo, os novos sistemas de acionamento de motores, com inversores de frequência VVVF, fazem o elevador partir e parar suavemente, reduzindo o consumo de energia. Quanto equipamento ainda tem no Brasil, que já cumpriram sua vida útil e ainda continuam operando com grandes custos e de forma ineficiente? Quanta energia poderia economizar se boa parte destes milhares de elevadores obsoletos fosse modernizados? Todos precisam se conscientizar que os problemas de escassez e aumento de custos de energia elétrica em nosso país são cada vez maiores. São raros os equipamentos que têm um consumo significativo de energia e podem ser modernizados para reduzir até 40% do seu consumo. O elevador é uma destas grandes oportunidades. Pense nos seus gastos e em nosso planeta!

Qual a importância do zelador em relação ao contrato de manutenção dos elevadores?

O zelador é o “braço direito” do síndico, e ao longo dos anos tornou-se um verdadeiro gerente do prédio, uma vez que coordena todas as atividades e pessoas, que tem por objetivo zelar pelo bem estar dos condôminos, através de sua dedicação nas ações que visam manter o edifício em perfeito estado de conservação e de ordem.

No que tange a manutenção dos elevadores, o zelador é um elo fundamental entre a empresa prestadora de serviços e a direção dos condomínios. Um bom profissional neste segmento, com certeza, através de suas preciosas informações, colabora de forma positiva e efetiva com o bom funcionamento e eficiência dos elevadores.

O zelador e a importância da manutenção preventiva dos elevadores Com o intuito de ajudar ainda mais o relação entre a empresa de manutenção dos elevadores e o zelador, lembramos abaixo algumas situações onde a atuação do zelador é fundamental.

A atuação do zelador torna-se muito eficiente quando ele se dedica à manutenção preventiva, ao invés de apenas localizar problemas que surjam nos equipamentos.
Observar o estado dos elevadores freqüentemente é uma das etapas mais importantes da manutenção preventiva.

Principais pontos que merecem a atenção do zelador:

Fecho eletromecânico: Em lavagens de andares e do hall do térreo, orientar faxineiros a colocar um pano sob o vão da porta do elevador. A água pode provocar curto-circuito nos fechos, fazendo com que o elevador ande com a porta de algum andar aberta.

Pessoas presas: o procedimento correto não é retirar as pessoas, e sim chamar imediatamente a empresa de manutenção.

Algumas outras situações que devem ser observadas pelo zelador:

A cabina não deve parar com desnível nos andares.

  • Dar trancos.
  • Ter trepidações fortes ou parar entre os andares.
  • Partir com a porta aberta.
  • Fechar as janelas da casa de maquinas em dias chuvosos.
  • Deixar a chave da casa de maquinas identificada na portaria para os casos de emergência.

Nota: Caso o zelador detecte alguma destas irregularidades, deve comunicar o problema de
imediato para a empresa responsável pela conservação dos elevadores para que esta tome as
providências cabíveis no sentido de solucionar a questão.

Os Elevadores do seu edifício possuem os itens de segurança de acordo com a norma da NBR 15.579?

Seja qual for o ramo de atividade, estar de acordo com as normas regulamentadoras de qualidade e segurança é essencial para garantir o desempenho adequado de produtos e serviços.

Você sabia que com relação aos Elevadores também é assim? Deve-se adequá-los às normas ligadas a sua manutenção técnica e ou modernização?

Você sabia que existem mais de 300 mil elevadores em operação no Brasil e que por volta de 80% deles foram construídos e instalados em antigas normas que hoje foram canceladas e substituídas?

Hoje, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) de 18 de Setembro de 2008, a NBR 15.597 trouxe um avanço significativo com relação à segurança dos elevadores.

A Norma Técnica Brasileira – ABNT NBR 15.597, estabelece regras para melhoria da segurança dos elevadores de passageiros existentes, com o objetivo de atingir um nível equivalente de segurança equivalente a um elevador recentemente instalado.
Diante disso a pergunta é? Os elevadores do seu Condomínio são mesmo seguros? Entre em contato com a sua empresa Conservadora e saiba melhor sobre isso.